A EVOLUÇÃO NOS ESTUDOS DA GESTÃO DA QUALIDADE BASEADO NA NORMA ISO 9001:2015: UM ESTUDO BIBLIOMÉTRICO

THE EVOLUTION IN QUALITY MANAGEMENT STUDIES BASED ON ISO 9001: 2015 STANDARD: A BIBLIOMETRIC STUDY

Autores

  • Mônica Canal Bravim Departamento de Engenharias e Tecnologia, Universidade Federal do Espírito Santo – UFES
  • Taisa Shimosakai de Lira Departamento de Engenharias e Tecnologia, Universidade Federal do Espírito Santo – UFES
  • Rodrigo Randow de Freitas Departamento de Engenharias e Tecnologia, Universidade Federal do Espírito Santo – UFES
  • Thiago Padovani Xavier Universidade Federal do Espírito Santo

Palavras-chave:

ISO 9001:2015, Sistemas de Gestão da Qualidade, Gerenciamento Organizacional

Resumo

A discussão acerca de temas relacionados à Gestão da Qualidade, como a ISO 9001, tem se popularizado e é cada vez mais necessário acompanhar sua evolução e atualização, dada a importância global do assunto. Baseado na última revisão da Norma em 2015, considerando a necessidade de avaliação do comportamento destes estudos e a formação de um banco de dados específico sobre o tema, utilizou-se nesse trabalho, como ferramenta científica consagrada, a revisão bibliométrica. Instrumento que permite seleção e avaliação qualitativa e quantitativa de publicações científicas dentro de bancos de dados (BD). A partir da pesquisa e dos resultados obtidos, confirma-se a necessidade de um estudo pautado na avaliação da disseminação do conteúdo do tema ISO 9001:2015 como fonte estratégica de informação e direcionamento para novos projetos na comunidade acadêmica, que funcionarão de modo a fortalecer o tema gestão da qualidade como um todo. Ainda, foi possível visualizar e garantir a importância da implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade, aliado a uma certificação, considerando cenários de mercado mais competitivos, que exigem das organizações atuais, diferenciais e uma preocupação cada vez maior com a satisfação de todos os seus stakeholders.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mônica Canal Bravim, Departamento de Engenharias e Tecnologia, Universidade Federal do Espírito Santo – UFES

Técnica em Administração pelo Instituto Federal do Espírito Santo, cursado integralmente com o Ensino Médio com duração de quatro anos, turma de 2013. Graduanda em Engenharia Química pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), com término do curso em 2018/2. Diretora de Marketing da Energy Jr., empresa júnior do setor de Engenharia e Energias da UFES, com principais soluções nas áreas de eficiência energética, energias renováveis e Engenharia Química e Petróleo. Inglês avançado e Francês intermediário.

Taisa Shimosakai de Lira, Departamento de Engenharias e Tecnologia, Universidade Federal do Espírito Santo – UFES

Possui Graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal de Uberlândia (2003), Mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Uberlândia (2005) e Doutorado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Uberlândia (2009). É Professora Adjunto do Departamento de Engenharias e Tecnologia e Professora Permanente do Programa de Pós-graduação em Energia, ambos da Universidade Federal do Espírito Santo. Tem experiência na área de Engenharia Química, com ênfase em Modelagem, Simulação e Otimização de Processos, atuando principalmente com pirólise de biomassa.

Rodrigo Randow de Freitas, Departamento de Engenharias e Tecnologia, Universidade Federal do Espírito Santo – UFES

Atualmente Professor Adjunto do curso de Engenharia de Produção em regime de dedicação exclusiva da Universidade Federal do Espírito Santo no campus São Mateus, E.S. / UFES-CEUNES (2015). Doutor pelo programa de Pós-Graduação em Aquacultura pela Fundação Universidade Federal de Rio Grande (FURG) em 2011; Mestrado em Aquacultura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006); Especialização em Educação e Gestão Ambiental (Faculdade Saberes - 2003); e Graduação em Administração de Empresas: ênfase em análise de sistemas (Faculdade de Ciências Humanas de Vitória - 2001). Experiência na área de Gestão Ambiental e Gerenciamento Costeiro, Gestão de processos e produtos, análise de cadeias produtivas e Planejamento Estratégico. Em especial para a área de Engenharia, destacam-se diversos artigos, resumos e projetos executados e em andamento, citemos por exemplo, os projetos: Produção de biomassa microalgal e extração de bio-óleo; Chamada CNPq/VALE 05/2012 -Forma-Engenharia; Chamada Pública MCTI/CNPq/SPMPR/Petrobrás 18/2013 - Meninas e Jovens/FAPES; Estudo de viabilidade econômica da pirólise de casca de macadamia, dentre outros.

Thiago Padovani Xavier, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutor em Engenharia Química pela Universidade Federal de Uberlândia (2016), com mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Uberlândia (2011) e graduação em Química pela Universidade Federal de Uberlândia (2003). Atualmente é Professor Adjunto do Departamento de Engenharias e Tecnologia da Universidade Federal do Espírito Santo, desde 2012, atuando em assuntos relacionados à engenharias no que se refere à pesquisas tecnológicas e formação de pessoal na área de gestão.

Referências

Almeida, D., Pradhan, N., & Junior, J. M. (2017). Assessment of ISO 9001:2015 implementation factors based on AHP: Case study in Brazilian automotive sector. International Journal Of Quality & Reliability Management, 35(7), 1343-1359.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2017). ISO 14001 – data per country and sector – 1993 to 2017. Recuperado em 5 de Dezembro de 2018, de http://www.abnt.org.br.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (2017). ISO 9001 – data per country and sector – 1993 to 2017. Recuperado em 5 de Dezembro de 2018, de http://www.abnt.org.br.

Bangert M. (2015). ISO 9001:2015 Is Almost Here. Quality Magazine, 54(5), 30-33.

Betlloch-Mas, I., Ramón-Sapena, R., Abellán-García, C., Pascual-Ramírez, J.C. (2019). Implementation and Operation of an Integrated Quality Management System in Accordance With ISO 9001:2015 in a Dermatology Department. Actas Dermo-Sifiliográficas (English Edition), 110(2), 92-101.

Bureau Veritas. QUALIDADE: Tudo sobre a ISO 9001:2015. Recuperado em 18 de Outubro de 2018, de https://group.bureauveritas.com.

Carballido, V.M.N., & Tovar, L.A.R. (2008). Desempeno de las organizaciones mexicanas certificadas en la norma ISO 9001:2000. Estudos Gerenciales, 24(108) 107-128.

Carvalho, M.; Paladini E. (2012) Gestão Da Qualidade: Teoria E Casos (2a ed). São Paulo: ABEPRO.

Chueke, G.V., & Amatucci, M. (2015). O que é bibliometria? Uma introdução ao Fórum. Revista Eletrônica de Negócios Internacionais, 10(2), 1-5.

Correia, L. C. C. et al (2006) Modelo de diagnóstico e implementação de um sistema de gestão da qualidade: estudo de um caso. Produção, 16(1), 111-125.

Da Silva, A.M. & De Melo R.M (2017). Uma abordagem multicritério para a seleção de serviços de consultoria e certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão & Produção, 25(1), 160-174.

Das, A.; Paul, H.; & Swierkzec F.W. (2008). Developing and validating total quality management (TQM) constructs in the context of Thailand’s manufacturing industry. Benchmarking: An International Journal, 15(1), 57-72.

EBSCOhost (2018). Base de dados de pesquisa. Recuperado em 4 de Dezembro de 2018, de https://www.ebsco.com/e/pt-br/produtos-e-servicos/bases-de-dados-de-pesquisa.

ELSEVIER (2018). Scielo Analytics. Recuperado em 10 de Outubro de 2018, de https://analytics.scielo.org/w/publication/article?collection=scl

ELSEVIER (2018). Scopus. Recuperado em 4 de Dezembro de 2018, de https://www.elsevier.com/solutions/scopus

Falconi, V.C. (2013). O Verdadeiro Poder. Nova Lima: Falconi.

Fonseca, L.M. (2015). From quality gurus and TQM to ISO 9001:2015: a review of several quality paths. International Journal For Quality Research, 9(1), 167-180.

Fonseca, L.M.; & Domingues, J.P. (2017). Reliable and flexible Quality Management Systems in the automotive industry: monitor the context and change effectively. Procedia Manufacturing, 11(2017), 1200-1206.

Fonseca, L.M.; & Domingues, J.P. (2018). Empirical Research of the ISO 9001:2015 Transition Process in Portugal: Motivations, Benefits, and Success Factors. Quality Innovation Prosperity, 22(2), 16-47.

Gaspar, M. L., et al. (2017). Defining strategic quality directions based on organizational context identification; case study in a software company. Procedia - Social And Behavioral Sciences, 238(2018), 615-623.

Gray, J.V., Anand, G., Roth, A.V. (2015). The influence of ISO 9000 certification on process compliance, Production and Operations Management, 24 (1), 369-382.

Guedes, V.L.S. (2012). A bibliometria e a gestão da informação e do conhecimento científico e tecnológico: uma revisão da literatura. Ponto de Acesso, 6(2), 74-109.

INMETRO (2018). Histórico de certificados válidos. Recuperado em 15 de Novembro de 2018, de http://certifiq.inmetro.gov.br/.

International Organization for Standardization. (2016). ISO Survey 2015. Recuperado em 26 de Agosto de 2018, de http://www.iso.org.

Kustush, C. (2016). Navigating the Way to ISO Certification. Moldmaking Technology Magazine, 19(12), 24-29.

Latan, H., Jabbour, C.J.C., Jabbour, A.B.L.S., Fiorini, P.C., Foropon, C. (2020) Innovative efforts of ISO 9001-certified manufacturing firms: Evidence of links between determinants of innovation, continuous innovation and firm performance, International Journal of Production Economics, 223(1), 107526.

Lavrat, E. et al (2015). Évolutions de la norme ISO 9001:2015: réponse aux besoins des services biomédicaux certifiés. Irbm News, 36(5), 158-162.

Machado Jr, C. et al (2016). As Leis da Bibliometria em Diferentes Bases de Dados Científicos. Revista de Ciências da Administração, 1(1), 111-124.

Maekawa, R., Carvalho, M.M., & Oliveira, O.J. (2013). Um estudo sobre a certificação ISO 9001 no Brasil: mapeamento de motivações, benefícios e dificuldades. Gestão & Produção, 20(4), 763-779.

Manders, B., Vries, H.J., Blind, K. (2016), ISO 9001 and product innovation: A literature review and research framework. Technovation, 48–49(1), 41-55.

Marcondes, R. B. (2018). Fundamentos do Sistema de Gestão da Qualidade aplicados aos processos produtivos de uma empresa de projetos de engenharia e arquitetura (Monografia). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Marin, P. L. (2012). Sistemas de Gestão da Qualidade e Certificação ISO 9001 na administração pública: uma análise crítica. Anais do Congresso CONSAD de Gestão Pública, Brasília, Brasil, 5. Recuperado de http://www.escoladegestao.pr.gov.br/arquivos/File/2013/V_CONSAD/184.pdf.

Melicharova, A. (2018). Standart ISO 9001:2015, most important changes and their impact on supplier complaints management. Engeneering For Rural Development, 8(5), 765-770.

MoldMaking Technology (2018). Recuperado de 12 de Setembro de 2018, em https://www.moldmakingtechnology.com/.

Nascimento, A. P. et al (2016). Pontos de transição: a escalada rumo à maturidade de Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão & Produção, 23(2), 250-266.

Ost, H.J., & Silveira, C.G. (2017). Avaliação do processo de transição da ISO 9001:2008 para a ISO 9001:2015: um estudo voltado para empresas químicas do Estado do Rio Grande do Sul. Gestão & Produção, 25(2), 763-779.

Ouellette P. (2018). ISO 9001:2015 Implementation: The good, the bad and the trending: Te future for ISO 9001 is strong. Quality Magazine, 57(11), 38-40.

Paulista, P.H., Campos, D.F., & Turrioni, J.B. (2010). Análise bibliométrica da Gestão da Qualidade (Trabalho de Conclusão de Curso). Univás, São Carlos.

Poltronieri, C.F., Gerolamo, M.C., & Carpinetti, L.C.R. (2017). Um instrumento para a avaliação de sistemas de gestão integrados. Gestão & Produção, 24(4), 638-652.

Priede, J. (2012). Implementation of Quality Management System ISO 9001 in the World and Its Strategic Necessity. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 5812(1), 1466-1475.

Pritchard, A. (1969). Statistical bibliography or bibliometrics? Journal of Documentation, 25(4), 348-349.

Psomas, E.L., Fotopoulos, C.V., Kafetzopoulos, D.P. (2011). Core process management practices, quality tools and quality improvement in ISO 9001 certified manufacturing companies, Business Process Management Journal, 17(1), 437-460.

Rodríguez-Mantilla, J.M., Martínez-Zarzuelo, A., Fernández-Cruz, F.J. (2020). Do ISO:9001 standards and EFQM model differ in their impact on the external relations and communication system at schools? Evaluation and Program Planning, 80(1), 101816.

Schefer, F. (2018). Vantagens da implantação de Sistemas de Gestão da Qualidade (Monografia). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

Souza V. (2012). Sistema de Gestão da Qualidade. Recuperado em 10 de Outubro de 2018, de https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/4004/7/Ap%C3%AAndice%20A%20-%20Sistema%20de%20Gest%C3%A3o%20da%20Qualidade.pdf

Su, H., Kao, T.D., Linderman, K., (2020). Where in the supply chain network does ISO 9001 improve firm productivity?, European Journal of Operational Research, 283(2), 530-540.

Tague-Sutcliffe, J. (1992). An introduction to informetrics. Information Processing & Management, 28(1), 1-3.

Troschinets, A. (2017). 2017: A year of Transitions in ISO-related Standards. Quality, 56(13), 34-37.

Universidade Federal de São Carlos (2016). Scopus: base multidisciplinar da Elsevier disponível no Portal CAPES. Recuperado em 3 de Dezembro de 2018 de http://www.seabd.bco.ufscar.br/bases-de-dados/bases-capes/scopus-base-multidiciplinar-elsevier-portal-capes.

Vasconcellos, A.L.C. (2012). Gestão da Qualidade: dos primórdios aos modelos de excelência em gestão. Congresso Nacional de Excelência em Gestão, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil, 8.

Velásquez-Restrepo, P.A, Velásquez-Restrepo S.M, Velásquez-Lopera, M. & Villa-Galeano J. (2017). Implementación de la gestión de riesgo em los processos misionales de la Sección de Dermatología de la Universidad de Antioquia (Medellín, Colombia), siguiendo las directrices de la norma ISSO 9001:2015. Rev Gerenc Polit. Salud, 16(33), 78-101.

Viana, T.M., Tosta, M.C.R., & Freitas, R.R. (2017). Análise da Gestão Energética conforme a ISO 50001: um estudo bibliométrico. Brazilian Journal Of Production Engineering, 3(2) 141-154.

Wood Jr, T. W., & Urdan, F. T. (1994). Gerenciamento da Qualidade Total: uma revisão crtítica. Revista de Administração de Empresas, 34(6), 46-59.

Yasenchak, L. (2015). Keeping Up with ISO. Moldmaking Technology Magazine, 18(11), 10-10.

Yasenchak, L. (2016). A New High-Level Structure. Moldmaking Technology Magazine, 19(4), 32-33.

Yasenchak, L. (2016). ISO implementation: Meeting Objectives. Moldmaking Technology Magazine, 19(6), 58-59.

Publicado

2020-06-18

Como Citar

Canal Bravim, M., Shimosakai de Lira, T., Randow de Freitas, R. ., & Xavier, T. P. (2020). A EVOLUÇÃO NOS ESTUDOS DA GESTÃO DA QUALIDADE BASEADO NA NORMA ISO 9001:2015: UM ESTUDO BIBLIOMÉTRICO: THE EVOLUTION IN QUALITY MANAGEMENT STUDIES BASED ON ISO 9001: 2015 STANDARD: A BIBLIOMETRIC STUDY. Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 6(3), 88–106. Recuperado de https://periodicos.ufes.br/bjpe/article/view/30137

Edição

Seção

INFORMAÇÃO & CONHECIMENTO - INFORMATION & KNOWLEDGE