Sobre a Revista

Periódico publicado em fluxo contínuo (Ahead of Print) pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Espírito Santo desde 2005. ISSN 1980-0096. É usado o Open Journal Systems (OJS 3.3.0.8), sistema de código livre gratuito para a administração e a publicação de periódicos, desenvolvido com suporte e distribuição pelo Public Knowledge Project sob a licença GNU General Public License. 

Anúncios

Ágora no Dialnet

11-10-2022

Dialnet é um portal de difusão da produção científica que iniciou seu funcionamento no ano 2001 especializado em ciências humanas e sociais. Seu banco de dados, de acesso livre, foi criado pela Universidade daRioja (Espanha) e constitui uma hemeroteca virtual que contém os índices das revistas científicas e humanísticas de Espanha, Portugal e América Latina, incluindo também livros (monografías), dissertações, homenagens e outro tipo de documentos. O texto completo de muitos dos documentos está disponível em linha.  A Universidade Federal do Espírito Santo, a partir de 2022, passou a colaborar diretamente com o portal. A Ufes estabeleceu a parceria porque possui um setor dedicado às boas práticas de publicação.

 

Saiba mais sobre Ágora no Dialnet

Edição Atual

v. 34 n. 1 (2023): História e literatura: limites e aberturas para o pensamento historiográfico

O presente dossiê visa reunir pesquisas que aproximem o campo da História com o Campo da Literatura. Luiz Costa Lima (2021) compreende que é impossível dissociar a prática contemporânea da reflexão teórica sobre a História, que se coloca emancipada de outras modalidades reflexivas, da Teoria da Literatura. Uma vez que o reconhecimento de uma imediação teórica parte do princípio de escrutínio e questionamento crítico dos fazeres e instrumentos do historiador, não se pode fugir de um questionamento profundo sobre o vetor de realização do discurso historiográfico, isto é, a linguagem. Pensar eu a História se afirma como ciência dos homens no tempo, e por que não, no espaço, mantém-se como um paradigma válido. Não se questiona sem negacionismos que a história seja uma ciência, mas seu comportamento não é como o ideal das scientia que se baseiam na conceitualidade estrita. A História usa da linguagem como seu vetor de realização. De modo que questionar a escrita da história é também questionar a capacidade que exercemos de usar elementos retóricos e tropológicos da língua (White, Hayden: 2012) sem que se incorra na literatura, ainda que sua forma seja convergente, sem se confundir com a historiografia. O problema se complexifica ainda mais quando se toma por objeto a literatura, uma vez que a escrita da História precise desdobrar a literatura e esta não se deixa prender em um sentido somente, isto é, a apreensão da verossimilhança é um dado, mas a diferença é que realmente importa para o discurso do historiador. Por um lado, a verossimilhança pode nos permitir uma contextualização da obra, mas a diferença, a alteridade contida na literatura é que nos permite redescobrir aspectos do tempo e da história que estavam soterrados por elementos de pura barbárie. Nesse sentido, levando em conta este aporte teórico, temos que este dossiê visa reuni pesquisadores que se dediquem ao tema da literatura, pois, estando estes objetos arredios às objetividades, renovam as possibilidades metódicas, teóricas e historiográficas de pensar a literatura a partir da sua existência histórica.

Publicado: 22-01-2023

História e Literatura: limites e aberturas para o pensamento historiográfico

Ver Todas as Edições

Publicada desde 2005, Ágora é um periódico acadêmico quadrimestral, especializado em História e editada por especialistas. A gestão do periódico pertence ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Espírito Santo. O financiamento da revista decorre de investimentos do Programa de Pós-Graduação em História e da Pro-Reitoria de Pós-Graduação da Universidade Federal do Espírito Santo.